Dicas de educação do Dr. Içami Tiba


1. A educação não pode ser delegada à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre.

2. O quarto não é lugar para fazer criança cumprir castigo. Não se pode castigar com internet, som, tv, etc.

3. Educar significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo. Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia todo em hospital de queimados.

4. É preciso confrontar o que o filho conta com a verdade real. Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas.

5. Informação é diferente de conhecimento. O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa. Não são todos que conhecem.

6. A autoridade deve ser compartilhada entre os pais. Ambos devem mandar. Não podem sucumbir aos desejos da criança. Criança não quer comer? A mãe não pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição que a família fará. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa. Se o pai determinar que não
haverá um passeio, a mãe não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente.

7. Em casa que tem comida, criança não morre de fome. Se ela quiser comer, saberá a hora. E é o adulto quem tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o que comer.

8. A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada. Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que entender.

9. É preciso transmitir aos filhos a ideia de que temos de produzir o máximo que podemos. Isto porque na vida não podemos aceitar a média exigida pelo colégio: não podemos dar 70% de nós, ou seja, não podemos tirar 7,0.

10. As drogas e a gravidez indesejada estão em alta porque os adolescentes estão em busca de prazer. E o prazer é inconsequente.

11. A gravidez é um sucesso biológico e um fracasso sob o ponto de vista sexual.

12. Maconha não produz efeito só quando é utilizada. Quem está são, mas é dependente, agride a mãe para poder sair de casa, para fazer uso da droga. A mãe deve, então, virar as costas e não aceitar as agressões. Não pode ficar discutindo e tentando dissuadi-lo da ideia. Tem que dizer que não conversará com ele e pronto. Deve "abandoná-lo".

13. A mãe é incompetente para "abandonar" o filho. Se soubesse fazê-lo, o filho a respeitaria. Como sabe que a mãe está sempre ali, não a respeita.

14. Se o pai ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve alterar a voz. Deve dizer que está nervoso e, por isso, não quer discussão até ficar calmo. A calmaria, deve o pai dizer, virá em 2, 3, 4 dias. Enquanto isso, o videogame, as saídas, ficarão suspensas, até ele se acalmar e aplicar o devido castigo.

15. Se o filho não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo.

16. Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se for mal na faculdade.

17. Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto, de maneira alguma. Jamais. Não é cabível palpite. Nunca.

18. Se a mãe engolir sapos do filho, ele pensará que a sociedade terá que engolir também.

19. Videogames são um perigo: os pais têm que explicar como é a realidade, mostrar que na vida real não existem "vidas", e sim uma única vida. Não dá para morrer e reencarnar. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a dívida.

20. Professor tem que ser líder. Inspirar liderança. Não pode apenas bater cartão.

21. Pais e mães não podem se valer do filho por uma inabilidade que eles tenham. "Filho, digite isso aqui pra mim porque não sei lidar com o computador." Pais têm que saber usar o Skype, pois no mundo em que a ligação é gratuita pelo Skype, é inconcebível pagarem para falar com o filho que mora longe.

22. O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.

23. Filhos drogados são aqueles que sempre estiveram no topo da família.

24. Cair na conversa do filho é criar um marginal. Filho não pode dar palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a geladeira, terá que mostrar qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto isso (seus supostos luxos) incrementará o gasto final.

25. Dinheiro "a rodo" para o filho é prejudicial. Mesmo que os pais o tenham, precisam controlar e ensinar a gastar.

Frase: "A mãe (ou o pai) que leva o filho para a igreja, não vai buscá-lo na cadeia."

(UOL Mais)

NABE, PARA FAZER A DIFERENÇA!


       Com uma visão fraternal, vinda de Deus, o NABE- Núcleo Assistencial e Beneficente Ebenezer, tem desenvolvido um trabalho em parceira com a Igreja Evangélica Assembleia de Deus Missão Mundial de prestação de serviços sociais na capital de Palmas. No começo foi meio árduo mais, graças a Deus, já são 03 anos de muitas batalhas e também muitas vitórias!

        Como disse o profeta Zacarias: “Porque, quem despreza o dia das pequenas coisas?” Zc 4:10a, e foi assim que não desprezando seu começo pequenino, que o NABE nasceu e continuou firme em seu propósito de ajudar, ainda que fosse apenas com uma palavra amiga, aqueles que, mesmo em meio a milhares de pessoas, se sentem tão sozinhos - Os excluídos sociais.

         Mesmo sem recursos financeiros, esse sonho gerado no coração do Pastor Antônio Queiroz e da igreja Missão Mundial, se tornou realidade no ano de 2008, fundação do NABE. E desde então Deus tem abençoado em tudo. Qual o segredo? Alguém pode perguntar. A resposta é simples: Fé e Ação.

         Fé, porque os maiores feitos da humanidade foram realizados por homens e mulheres que tiveram fé. Fé em Deus, e simplesmente isso, é capaz de mudar a história de uma pessoa, de uma sociedade, de uma cidade, de um País e do mundo!

        E embalados por essa fé em Deus, o NABE, por meio de sua diretoria, tem desenvolvido programas e projetos assistenciais como, por exemplo, o Sopão Solidário, Cursos profissionalizantes, Distribuição de Cestas Básicas entre outras atividades que buscam tão somente levar a felicidade para quem pensa que ela já foi apagada de suas vidas.

         Ação, porque sem ação a fé não tem efeito positivo. A ação tem nos levado a fazer quando está ao nosso alcance, mas quando não, Deus tem enviado parcerias para esse tão nobre serviço.

         Então, vamos juntar nossas forças e fazer a diferença porque o NABE é e pode ser mais ainda quando todos juntos, Eu e Você , nos entregarmos a esse tão abençoado ministério: O DE SERVIR!


Fiquem com Deus, e abaixo confiram algumas fotos!

Atividades recreativas com as crianças
Cursos


Alunos do curso profissionalizante de serigrafia
1º Turma do curso de serigrafia 
Festa das crianças

O NABE investindo em pessoas
Parceria com o Corpo de Bombeiros do TO
Distribuição de cestas básicas no natal

NABE em AÇÃO




ASSIM ANDA O MUNDO...


Várias pessoas morrem esperando em fila de 26 km para encontrar com Pastor milagreiro


Na Tanzânia, África, a busca por cura para as mais diferentes doenças está cada vez mais forte. Em um país que tem em sua maior crença a magia negra e outras formas de feitiçaria que não dão certo, um Pastor curando uma pessoa através de um milagre de Deus é tido como a última esperança para quem está desesperado por ajuda.
O problema é que o desespero das pessoas acaba acarretando em consequências alarmantes. Milhares de pessoas formaram uma fila de, até então, 26 quilometros começando na casa do Pastor Ambilikile Babu Mwasapile que, segundo o povo, consegue curar as pessoas com um chá abençoado que faz.
Na fila existem pessoas de outros países também, como o Quênia, além de toda a espécie de doenças e doentes, inclusive terminais, que foram retirados dos hospitais pelas famílias para serem curados pelo pastor. Cerca de 52 pessoas já morreram na espera que fica em um local sem água, comida ou local para banho.
Para evitar mais mortes, o pastor pediu para que ninguém mais o procure. A polícia foi deslocada para o local para conter a multidão.
Fonte: Gospel+

É PRA RIR OU PRA CHORAR- PARTE 3


Família rasga dinheiro e documentos, segue pastores para encontrar com Jesus em pessoa em São Paulo e desaparece


No dia 13, domingo, doze pessoas (número dos apóstolos) se reuniram na casa de Pedro, em Diadema, na Grande São Paulo, para “última ceia”, conforme afirmaram. Eles leram a Bíblia, escreveram recados para parentes, rasgaram dinheiro e documentos (CPF seria o número da besta) e quebraram instrumentos do demônio, como computador e televisor, preparando-se para o dia seguinte.
O pregador Roberto Carlos da Silva, com base em um calendário hebraico, calculou que Jesus voltaria à Terra por volta das 14h do dia seguinte e os levaria para o Pai, provavelmente em algum lugar da rodovia Fernão Dias. Seria o dia do arrebatamento, previsto na Bíblia.
Valcilene Dias, mulher de José Carlos, e os filhos do casal (a adolescente Carla e os meninos Rubens e Moisés) também saíram para o encontro com Jesus, mas voltaram quando sentiram sede e fome. Rubens, que participou da “ceia”, disse que o seu primo Henrique estava esquisito, porque dizia que “amanhã a gente vai para a glória”. “Eles estavam levando aquilo muito a sério”, disse Valcilene.
Antônia deixou um emprego em uma empresa onde estava havia 14 anos. Seu filho Henrique terminou a faculdade no ano passado, tinha emprego e era noivo. Thais também abandonou o emprego.
Patrícia Gomes Carvalho, filha de Antônia e enteada de Pedro, foi a primeira a notar o desaparecimento do casal e filhos. Ela mora com marido e dois filhos pequenos em uma casa vizinha à da família de religiosos.
Patrícia e outros vizinhos contaram que Pedro tinha mudado abruptamente de comportamento, influenciando toda a família. “Eles só falavam sobre o fim dos tempos e da volta de Jesus”, disse Patrícia.
Os vizinhos apontaram três pregadores que se revezavam na Praça da Sé, em São Paulo, como os responsáveis pelo fanatismo religioso da família. O líder deles, Roberto Carlos da Silva, é dono de uma pequena gráfica, ele deixou mulher, três filhos e dívidas.

Família encontrada 400 km depois

A família foi localizada neste domingo em Ourinhos (SP), a cerca de 400 km da cidade onde moram, Diadema, na Grande São Paulo. O casal Pedro e Antônio e os filhos Henrique e Thais foram reconhecidos por funcionários de um albergue. Eles passaram o fim de semana ali. Não há informação sobre os três pregadores.
Patrícia Gomes Carvalho, filha de Antônia e enteada de Pedro, ao manifestar alívio com a localização da família, lamentou os transtornos causados por “falsos profetas”. Ela agradeceu o apoio das pessoas que distribuíram em Diadema cartazes de “procura-se” e de comunidades criadas no Orkut.
A assistência social Márcia Moraes disse que a família está bem. De acordo com ela, Pedro afirmou que eles estavam cumprindo os desígnios da Bíblia.

Fonte:Gospel+

PRA SER FELIZ!

PRA SER FELIZ
Um hino para adorar a Deus


Pra ser feliz não é preciso ter dinheiro, milionário ou ser banqueiro, empresário ou coisa assim.
Não é preciso ganhar na mega-sena, ser artista de cinema ou famoso por aí...
Felicidade não leva em conta beleza, por incrível que pareça ser feliz não é assim.
Felicidade só se encontra em Jesus Cristo, vale mais que tudo isso e quer fazer você feliz.

Felicidade é só Jesus quem pode dar pra quem Nele acreditar Ele tem a solução
Ele é o descanso para uma alma cansada, Ele muda sua história e te entrega à salvação.

O mundo hoje só é pura ilusão, que engana o coração de quem não conhece a Deus.
Ele oferece vaidades e riquezas que aos olhos são belezas, mas é pura perdição.
Mas na Palavra de Deus está revelado que a maior virtude está em conhecer o Salvador
Que por amor a humanidade decadente, no calvário foi enfrente pra salvar o pecador

Felicidade é só Jesus quem pode dar pra quem Nele acreditar Ele tem a solução
Ele é o descanso para uma alma cansada, Ele muda sua história e te entrega à salvação.

Escute amigo preste muita atenção, não ande na contramão, você vai se arrepender
Sei não é fácil renegar a tudo isso pra poder ganhar a Cristo, eu já fui como você
Mas descobri que em Jesus sou mais feliz e foi isso que eu fiz aceitando o Salvador
È a riqueza que eu sempre desejei ser herdeiro do Deus vivo e só em Cristo eu encontrei

Felicidade é só Jesus quem pode dar pra quem Nele acreditar Ele tem a solução
Ele é o descanso para uma alma cansada, Ele muda sua história e te entrega à salvação.




Autoria: Dupla Sergiano e Maciel e o amado irmão em Cristo, Josiel Barros.

COISAS NÃO TÃO NOVAS!


Maçonaria dentro de Igrejas Evangélicas, Batista e Presbiteriana são as preferidas


Ela costuma causar nos crentes um misto de espanto e rejeição. Pudera – com origens que se perdem nos séculos e um conjunto de ritos que misturam elementos ocultos, boa dose de mistério e uma espécie de panaceia religiosa que faz da figura de Deus um mero arquiteto do universo, a maçonaria é normalmente repudiada pelos evangélicos.
Contudo, é impossível negar que a história maçônica caminha de mãos dadas com a do protestantismo. Os redatores do primeiro estatuto da entidade foram o pastor presbiteriano James Anderson, em Londres, na Inglaterra, em 1723, e Jean Desaguliers, um cristão francês.
Devido às suas crenças, eles naturalmente introduziram princípios religiosos na nova organização, principalmente devido ao fim a que ela se destinava: a filantropia. O movimento rapidamente encontrou espaço para crescer em nações de tradição protestante, como o Reino Unido e a Alemanha, e mais tarde nos Estados Unidos, com a colonização britânica. Essa relação, contudo, jamais foi escancarada. Muito pelo contrário – para a maior parte dos evangélicos, a maçonaria é vista como uma entidade esotérica, idólatra e carregada de simbologias pagãs.
Isso tem mudado nos últimos tempos. Devido a um movimento de abertura que atinge a maçonaria em todo o mundo, a instituição tem se tornado mais conhecida e perde, pouco a pouco, seu aspecto enigmático. Não-iniciados podem participar de suas reuniões e cada vez mais membros da irmandade assumem a filiação, deixando para trás antigos temores – nunca suficientemente comprovados, diga-se – que garantiam que os desertores pagavam a ousadia com a vida. A abertura traz à tona a uma antiga discussão: afinal, pode um crente ser maçom? Na intenção de manter fidelidade à irmandade que abraçaram, missionários, diáconos e até pastores ligados à maçonaria normalmente optam pelo silêncio. Só que crentes maçons estão fazendo questão de dar as caras, o que tem provocado rebuliço.
A Primeira Igreja Batista de Niterói, uma das mais antigas do Estado do Rio de Janeiro, vive uma crise interna por conta da presença de maçons em sua liderança. A congregação já estuda até uma mudança em seus estatutos, proibindo que membros da sociedade ocupem qualquer cargo eclesiástico.
Procurada por CRISTIANISMO HOJE, a Direção da congregação preferiu não comentar o assunto, alegando questões internas. Contudo, vários dos oficiais da igreja são maçons há décadas: “Sou diácono desta igreja há 28 anos e maçom há mais de trinta. Não vejo nenhuma contradição nisso”, diz o policial rodoviário aposentado Adilair Lopes da Silveira, de 58 anos, mestre da Loja Maçônica Silva Jardim, no município de mesmo nome, a 180 quilômetros da capital fluminense.
Adilair afirma que há maçons nas igrejas evangélicas de todo Brasil, dezenas deles entre os membros de sua própria congregação e dezesseis entre os 54 membros da loja que frequenta:“Por tradição, a maioria deles é ligada às igrejas Batista ou Presbiteriana. Essas são as duas denominações em que há mais a presença histórica maçônica”, informa.
Um dos poucos crentes maçons que se dispuseram a ser identificados entre os 17 procurados pela reportagem, o ex-policial acredita que a sociedade em geral, e os religiosos em particular, nada têm a perder se deixarem “imagens distorcidas” acerca da instituição de lado. “Há preconceito por que há desconhecimento. Alguns maçons, que queriam criar uma aura de ocultismo sobre eles no passado, acabaram forjando essa coisa de mistério”, avalia. “Já ouvi até histórias de que lidamos com bodes ou imagens de animais.
Isso não acontece”, garante. Segundo Adilair, o único mistério que existe de fato diz respeito a determinados toques de mão, palavras e sinais com os quais os maçons se identificam entre si – mas, segundo ele, tudo não passa de zelo pelas ricas tradições do movimento, que, segundo determinadas correntes maçônicas, remontam aos tempos do rei hebreu, Salomão. E, também, para relembrar tempos difíceis. “São práticas que remontam ao passado, já que nós, maçons, fomos muito perseguidos ao longo da história”.
Adilair adianta que não aceitaria uma mudança nos estatutos da igreja para banir maçons da sua liderança. Tanto, que ele e seus colegas de diaconato que pertencem ao grupo preparam-se para, se for o caso, ingressar na Justiça, o que poderia desencadear uma disputa que tende a expor as duas partes em demanda. Eles decidiram encaminhar uma cópia da proposta do regimento ao presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, desembargador Luiz Zveiter. “Haverá uma enxurrada de ações na Justiça se isso for adiante, não tenho dúvidas”, afirma o diácono. A polêmica em torno da adesão de evangélicos à maçonaria já provocou até racha numa das maiores denominações do país, a Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB), no início do século passado (ver abaixo).
O pastor presbiteriano Wilson Ferreira de Souza Neto, de 43 anos, revela que já fez várias entrevistas com o intuito de ser aceito numa loja maçônica do município de Santo André, região metropolitana de São Paulo. O processo está em andamento e ele apenas aguarda reunir recursos para custear a taxa de adesão, importância que é usada na manutenção da loja e nas obras de filantropia: “Ainda não pude disponibilizar uma verba para a cerimônia de iniciação, que pode variar de R$ 1 mil a cinco mil reais e para a mensalidade. No meu caso, o que ainda impede o ingresso na maçonaria é uma questão financeira, e não ideológica” diz Wilson, que é mestre em ciências da religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e estuda o tema há mais de uma década.
“Pessoas próximas sabem que sou maçom e isso inclui vários membros de minha igreja”, continua o religioso. “Alguns já me questionaram sobre isso, mas após várias conversas nas quais eu os esclareci, tudo foi resolvido”. Na mesma linha vai outro colega de ministério que prefere não revelar o nome e que está na maçonaria há sete anos. “Tenho 26 anos de igreja, seis de pastorado e posso garantir que não há nenhuma incompatibilidade de ser maçom e professar a fé salvadora em Cristo Jesus nosso Senhor e Salvador”, afirma. Ele ocupa o posto de mestre em processo dos graus filosóficos e diz que foi indicado por um pastor amigo. “Só se pode entrar na maçonaria por indicação e, não raro, os pastores se indicam”. Para o pastor, boa parte da intolerância dos crentes em relação à maçonaria provém de informações equivocadas transmitidas por quem não conhece suficientemente o grupo.

“SEM CAÇA ÀS BRUXAS”

Procurados com insistência pela reportagem, os pastores Roberto Brasileiro e Ludgero Bonilha, respectivamente presidente e secretário-geral do Supremo Concílio da IPB, não retornaram os pedidos de entrevista para falar do envolvimento de pastores da denominação com a maçonaria. Mas o pastor e jornalista André Mello, atualmente à frente da Igreja Presbiteriana de Copacabana, no Rio, concordou em atender CRISTIANISMO HOJE em seu próprio nome. Segundo ele, o assunto é recorrente no seio da denominação.
“O último Supremo Concílio decidiu que os maçons devem ser orientados, através do Espírito Santo, sem uso de coerção ou força, para que deixem a maçonaria”, conta Mello, referindo-se ao Documento CIV SC-IPB-2006, que trata do assunto. O texto, em determinado trecho, considera a maçonaria como uma religião de fato e diz que a divindade venerada ali, o Grande Arquiteto do Universo, é uma entidade “vaga”, sem identificação com o Deus soberano, triúno e único dos cristãos.
O pastor, que exerce ainda o cargo de secretário de Mocidade do Presbitério do Rio, lembra que, assim como as diferentes confissões evangélicas têm liturgias variadas e suas áreas de conflito, as lojas maçônicas não podem ser vistas em bloco – e, por isso mesmo, defende moderação no trato da questão. “Vejo algum exagero na perseguição aos maçons, pois estamos tratando de um problema de cem anos atrás, deixando de lado outros problemas reais da atualidade, como a maneira correta de lidar com o homossexualismo”.
O pastor diz que há mais presbíteros do que pastores maçons – caso de seu pai, que era diácono e também ligado à associação. “Eu nunca fui maçom, mas descobri coisas curiosas, como por exemplo, o fato de haver líderes maçons de várias igrejas, inclusive daquelas que atacam mais violentamente a maçonaria. “Não acredito que promover caça às bruxas faça bem a nenhum grupo religioso”, encerra o ministro. “Melhor do que aprovar uma declaração contra alguém é procurá-lo, orar por ele, conversar, até ganhar um irmão.”
O presidente do Centro Apologética Cristão de Pesquisa (CACP), pastor João Flávio Martinez, por sua vez, não deixa de fazer sérios questionamentos à presença de evangélicos entre os maçons. “O fato é que, quando falamos em maçonaria, estamos falando de outra religião, que é totalmente diferente do cristianismo. Portanto, é um absurdo sequer admitir que as duas correntes possam andar juntas”. Lembrando que as origens do movimento estão ligadas às crenças misteriosas do passado, Martinez lembra o princípio bíblico de que não se pode seguir a dois senhores. “Estou convencido de que essa entidade contraria elementos básicos do cristianismo. Ela se faz uma religião à medida que adota ritos, símbolos e dogmas, emprestados, muitos deles, do judaísmo e do paganismo”, concorda o pastor batista Irland Pereira de Azevedo.
Aos 76 anos de idade e um dos nomes mais respeitados de denominação no país, Irland estuda o assunto há mais de três décadas e admite que vários pastores de sua geração têm ou já tiveram ligação com a maçonaria. Mas não tem dúvidas acerca de seu caráter espiritual: “Essa instituição contraria os mandamentos divinos ao denominar Deus como grande arquiteto, e não como Criador, conforme as Escrituras”. Embora considere a maçonaria uma entidade séria e com excelentes serviços prestados ao ser humano ao longo da história, ele a desqualifica do ponto de vista teológico e bíblico. “No meu ponto de vista, ela não deve merecer a lealdade de um verdadeiro cristão evangélico. Entendo que em Jesus Cristo e em sua Igreja tenho tudo de que preciso como pessoa: uma doutrina sólida, uma família solidária e razão para viver e servir. Não sou maçom porque minha lealdade a Jesus Cristo e sua igreja é indivisível, exclusiva e inegociável.”

Ligações perigosas

Crentes reunidos à porta de templo da IPI nos anos 1930: denominação surgiu por dissidência em relação à maçonaria.
As relações entre algumas denominações históricas e a maçonaria no Brasil são antigas. Os primeiros missionários americanos que chegaram ao país se estabeleceram em Santa Bárbara (SP), em 1871. Três anos depois, parte desses pioneiros, entre eles o pastor Robert Porter Thomas, fundou também a Loja Maçônica George Washington naquela cidade. O espaço abrigou, em 1880, a reunião de avaliação para aprovação ao ministério de Antônio Teixeira de Albuquerque, o primeiro pastor batista brasileiro. Tanto ele quanto o pastor que o consagrou eram maçons.
Quando o missionário americano Ashbel Green Simonton (1833-1867) chegou ao Brasil, em 12 de agosto de 1859, encontrou, na então província de São Paulo, cerca de 700 alemães protestantes. Sem ter onde reuni-los, Simonton – que mais tarde lançaria as bases da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) – aceitou a oferta de maçons locais que insistiram para que ele usasse sua loja, gratuitamente, para os trabalhos religiosos. A denominação, que abrigava diversos maçons, sofreu uma cisão em 31 de julho de 1903. Um grupo de sete pastores e 11 presbíteros entrou em conflito com o Sínodo da IPB porque a denominação não se opunha a que seus membros e ministros fossem maçons. Foi então fundada a Igreja Presbiteriana Independente do Brasil (IPI).
Ultimamente, a IPB vem reiteradamente confirmando a decisão de impedir que maçons exerçam não só o pastorado, como também cargos eclesiásticos como presbíteros e diáconos. As últimas resoluções do Supremo Concílio sobre o assunto mostram o quanto a maçonaria incomoda a denominação. Na última reunião, ficou estabelecida a incompatibilidade entre algumas doutrinas maçons e a fé cristã. Ficou proibida a aceitação como membros à comunhão da igreja de pessoas oriundas da maçonaria “sem que antes renunciem à confraria” e a eleição, ao oficialato, de candidatos ainda ligados àquela entidade.

É PRA RIR OU PRA CHORAR- PARTE II


Estevam Hernandes se irrita com fiéis que deram pouco dinheiro e afirma: “Não quer dar? Então tá bom. Deus não vai te dar também!”

O apóstolo Estevam Hernandes, líder da Igreja Renascer, irritou-se com os fiéis durante um pedido de ofertas na inauguração da nova regional de Santo Amaro, afirma o site de membros da denominação.
Hernandes solicitou a todos os presentes que estivessem ofertando ou dizimando naquele dia levantassem o envelope. Contudo, poucos levantaram. O apóstolo irritou-se e afirmou: “Não quer dar? Então tá bom. Deus não vai te dar também!”. Após, revelou à igreja que o aluguel daquela nova filial regional custava R$ 20 mil por mês.
A afirmação não foi bem recebida pelos membros da Renascer, o fiel Marcos afirmou: “Acho que o cara pensando que Deus precisa de alguma coisa da gente. Quem é o dono do ouro e da prata, nós ou Deus? Será que Deus precisa mesmo do nosso dinheiro pra fazer aquilo que Ele quer? Será que Deus é ‘me dá que Eu te dou’? Ou será que Deus é um deus de amor que já nos deu aquilo que era mais vailoso: a vida do seu próprio filho como sacrificio pelos nossos pecados mesmo sabendo que somos falhos? será que alguns milhôes pagariam o sacrificio de Cristo na Cruz?”
Recentemente, também na inauguração de um novo templo, o Pastor Silas Malafaia, da Igreja Vitória em Cristo, teve um ato parecido ao afirmar “Quem não der oferta não vai ser abençoado“.
Fonte: Gospel+

EDUCADOR CRISTÃO


Amado educador cristão
Receba a nossa gratidão
Pelo seu esforço e dedicação
No ensino da Palavra de Deus
Você tem sido responsável
Zeloso e incansável
A igreja reconhece o seu dom


E louva a Deus pela sua função

Só há alimento espiritual

Através do estudo do Livro Sagrado

Aprender da Bíblia por intermédio de você

Tem feito a nossa igreja crescer
 

Que a unção do Mestre Jesus
De ensinar com autoridade e ousadia
Seja cada vez mais, sobre a sua vida
Ao ensinar as Sagradas Letras
Nossa homenagem e oração
É que Deus te abençoe de todo coração
Parabéns educador cristão!



COMO É BOM SER CRIANÇA!


O que as crianças gostariam de dizer para Deus? Professora consegue as respostas mais engraçadas e curiosas, confira:

Crianças além de inocentes possuem uma criatividade muito fértil e por isso é possível conseguir as mais divertidas respostas sobre tudo. Uma professora de escola dominical decidiu perguntar que recados seus alunos deixariam para Deus e o resultado vai do “bonitinho” ao criativo e o engraçado.
A jovem Joyce pareceu não muito feliz com o presente que ganhou: “Querido Deus, obrigada pelo meu irmãozinho, mas o que eu orei pedindo foi um cachorrinho”. Esse problema populacional na família também parece afetar o pequeno Nan: “Querido Deus, aposto que é muito difícil amar todas as pessoas de todo o mundo. Só há 4 pessoas em minha família e eu nunca conseguiria amar a todos eles”.
Já Jane, com toda a sua inocência, parece ter futuro como filósofa: “Querido Deus, ao invés de deixar as pessoas morrerem e precisar criar novas, por que você simplesmente não fica com as que já estão vivas?”
O Ginny está descontente sobre como Deus fez os feriados: “Querido Deus, por favor crie um outro feriado entre o Natal e a Páscoa. Não há nada de bom no espaço entre eles” e isso porque ele é americano e não tem o Carnaval no meio dessas datas santas como acontece no Brasil.
E o pequeno Raphael já é um homenzinho de negócios: “Querido Deus, se você me der um gênio da lâmpada, como o do Aladin, te darei qualquer coisa que me pedires. Menos o meu dinheiro e meu jogo de xadrez”.

Fonte:Gospelmais