A CONSPIRAÇÃO DOS INIMIGOS CONTRA NEEMIAS

Subsídio
Sergiano Reis












I - Texto Áureo (Ne 6.3b)



II - Auxílio Devocional


III – Dinâmica (A melhor resposta) *


I – Texto Áureo

“Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer; por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco?(Ne 6.3b)

Neemias sabia que estava fazendo uma grande obra. Não era grande pelo fato de ele ser o cabeça daquele projeto, mas era grande porque antes de Neemias pensar em fazê-la, Deus já havia planejado. Deus já havia planejado e também já tinha escolhido quem seria o vaso escolhido para tal fim. E o vaso escolhido – Neemias, começara sua preparação para aquele nobre epreendimento muito antes de chegar a Jerusalém, muito antes do cativeiro.

Caminhando rumo a uma liderança que não teme conspirações.

Ele começou essa caminhanda rumo a liderança na obra de Deus quando, sozinho, comungava com o Deus de Israel todos os dias onde quer que estivesse. E ele sabia muito tempo antes das afrontas de Sambalate e seus amigos que, como servo de Deus, sempre estaria exposto a conspirações por parte dos inimigos. Mas sua comunhão com Deus o capacitou e deu-lhe vigor, discernimento e sabedoria para enfrentar as intempéries da vida. Aprendamos então, e lembremos que quando a conspiração chegar temos resposta na experiência e no exemplo de Neemias, o servo de Deus que não parou a obra por causa de apelações do inimigo.

II – Auxílio Bibliológico

Não me façam descer daqui.

Os inimigos de Neemias continuavam tentando fazêlo descer da muralha e largar a obra de Deus, usando todo tipo de truques sujos para que a obra parasse. Mas ele lhes dizia: ‘Eu estou fazendo um trabalho importante e não posso descer’ (v.3). Por quatro vezes chamaram Neemias e, em todas elas, ele respondeu da mesma maneira. Em outra palavras, ele estava dizendo que não largaria a obra de Deus para cair na armadilha dos argumentos deles. Neemias usou de sabedoria para lidar com seus inimigos. Quando o povo de Deus está realizando a sua obra, o Diabo tenta envolvê-lo em todo tipo de argumento, conflito ou problema, para desviar a atenção dele do propósito de Deus. Se ele conseguir distrair o povo, poderá impedi-lo de realizar a obra que Deus o chamou para fazer.”[1]

Um dos fatores que levaram Neemias a obter sucesso contra as conspirações do inimigo foi o discernimento. Em tempos de relativismo e licenciosidade no meio das igrejas, é imprescindível que o líder cristão busque cada vez mais discernimento da parte de Deus para que não seja enganado e a obra do Senhor seja prejudicada.

O Discernimento e a cultura atual.

Sobre esse assunto – Dicernimento, o Pr. John Macarthur nos traz o seguinte alerta: “O dicernimento não é sinceramente bem recebido em uma cultura como a nossa. Na realidade, a perspectiva pós-moderna é mais do que hostil ao discernimento; ela é praticamente o extremo oposto do discernimento. Pense nisto: declarar que algo é a ‘verdade’ e chamar sua antítese de ‘erro’ é uma violação do único e derradeiro dogma invencível do pós-modernismo. Essa é a razão por que, para um pós-modernista, nada é mais grosseiro do que expressar opiniões firmes a respeito de questões espirituais, morais ou éticas,

Espera-se que as pessoas sustentem suas convicções mais importantes com tanta elasticidade quanto possível. A certeza a respeito de qualquer coisa não deve ser levada em conta. E todos aqueles que recusam equivocar-se em qualquer assunto acerca de princípios ou doutrinas são automaticamente rotulados como ‘bitolados’ ou ‘dogmáticos’. O zelo pela verdade tornou-se algo politicamente incorreto. Numa atmosfera ‘tolerante’ como a de nossa época, não existe tolerância alguma para o discernimento bíblico”.



III – Dinâmica (A melhor resposta *)

Caso queira receber o tutorial da dinâmica para aplicá-la em sua sala de aula, envie um e-mail para: FILHOCON@YAHOO.COM.BR



Uma ótima aula!

Bibliografia:

[1] – PLENITUDE, Bíblia de Estudo para Jovens – Comentário Bíblico de Ne 6.3 – Ed.SBB – 2010, p 594.

[2] – MACARTHUR, Jonh – A Guerra pela Verdade – Editora Fiel, p.233

Estamos orando por você!

Você que tem acessado o blog Ebdicas tem nos dado muita alegria. O aumento nos números de acesso tem nos surpreendido e isso devemos aos nossos irmãos internautas que tem acessado e comentado nossos posts, principalmente os subsídios da EBD.

Continue acessando e nos dando essa alegria!

Continuaremos orando para que seja sempre edificado por meio dessa ferramenta abençoada.


Abraços!

COMO ENFRENTAR OPOSIÇÃO À OBRA DE DEUS



Subsídio 
Sergiano Reis


I - Texto Áureo (Ne 4.9)
II - Auxílio Devocional
III – Dinâmica (Neemias - Palavras Cruzadas) *

I – Texto Áureo

“Porém nós oramos ao nosso Deus e pusemos uma guarda contra ele, de dia e de noite, por causa deles” (Ne 4.96)

A obra de Deus sempre enfrentara oposição. Quando lemos na Palavra do Senhor, encontramos muitos exemplos semelhantes ao de Neemias. Mas, graças a Deus, em todos estes, os servos de Deus foram vitoriosos. Sempre vigilantes e em constante oração, alcançaram a vitória e o nome do Senhor foi glorificado.

Para resistir e vencer a oposição, o servo de Deus deve atentar para os exemplos de sucesso relatados na Bíblia (Móises, Davi, Paulo e Jesus). Todos foram perseverantes na oração e agiram de forma coerente com a vontade de Deus.

“[...] de dia e de noite”

Não podemos deixar espaço para que o inimigo alcance vitória sobre nós. Assis como Neemias preocupou-se dioturnamente em proteger-se das investidas de seus opositores, nós também devemos ficar alertas, pois o nosso adversário principal não descansa. Os ataques podem vir de dentro ou de fora, não importa, devemos resistir e prosseguir no trabalho para Deus, pois Ele certamente nos dará vitória.

II – Auxílio Devocional

Quantas vezes nos encontramos diante de situações embaraçosas simplesmente pelo falo de estarmos fazendo algo para o Senhor? O que motiva os ataques dessas pessoas contra os “Neemias” da obra de Deus. Dentre os vários motivos existentes, entendo que não erraremos se colocarmos a inveja como um dos principais.

Abel e Caim, José e seus irmãos, Saul e Davi. Nas narrativas bíblicas desses personagens nota-se como a inveja é capaz de levar o homem a fazer coisas terríveis para não deixar que o próximo alcance seus objetivos na presença de Deus. No entanto, quem está confiado em Deus vence todas essas provações. Ele segue construindo, pois sabe que o Deus que o chamara é maior que os que procuram desanimá-lo.

O triste fim dos opositores

 “O amor não é invejoso.” – 1 Coríntios 13.4
 “O coração em paz dá vida ao corpo, mas a inveja apodrece os ossos.”   Pv 14.30

Os gregos antigos contam a história de um atleta veloz que  chegou em segundo lugar. Ele estava ali, ofegante, cansado enquanto a multidão aplaudia o vencedor. Ele ficou ali, enquanto traziam a coroa do vencedor e os demais prêmios. Precisou ficar no local enquanto se faziam discursos em homenagem ao primeiro lugar. E na volta para casa, teve que ouvir o nome do vencedor de todos que encontrava.
O vitorioso teve uma grande estátua erguida em sua homenagem no centro da cidade.  O 2º colocado tinha que vê-la todos os dias e começou a se achar um perdedor. A inveja e o ciúme passaram a tomar conta de sua alma e ele já não conseguia fazer mais nada no dia-a-dia.  Toda noite, quando perdia o sono, ele ia até a estátua do vencedor.  Ali ele talhava umas lascas de pedra do alicerce.  
A cada noite, a grande escultura de mármore ficava mais fraca. Até que um dia ele tirou mais uma lasca, e a imponente imagem do atleta caiu sobre o homem com a talhadeira, matando-o na hora.  O atleta foi esmagado pela imagem do homem que desprezava. Alguns dizem que o homem não morreu naquela hora, mas vinha morrendo aos poucos. [1]
III – Dinâmica (Neemias - Palavras Cruzadas *)
            Caso queira receber o tutorial da dinâmica para aplicá-la em sua sala de aula, envie um e-mail para: FILHOCON@YAHOO.COM.BR

            Uma ótima aula!

Bibliografia:

[1] – AURINO, Pr. Ricardo – Vencendo a Inveja – disponível em <http://www.pibjacarei.com/esboco2009/esboco_11_07_2010.html> - 21.10.11

PÉROLAS...




"O homem que tenta diminuir a glória de Deus, recusando-se a adorá-lO, é como um lunático que deseja apagar o sol, escrevendo a palavra "escuridão" nas paredes de sua cela."

C. S. Lewis

Deus seja louvado!







APRENDENDO COM AS PORTAS DE JERUSALÉM



I    Texto Áureo (Ne 4.6)
II  - Auxílio Devocional
III – Dinâmica (NEEMIAS  - Palavras Cruzadas)*









 I – Texto Áureo

“Assim, edificamos o muro, e todo o muro se cerrou até sua metade; porque o coração do povo se inclinava a trabalhar” (Ne 4.6)

Bons exemplos - é isso que todo homem espera daqueles que lhe servem de fonte de inspiração e modelo a ser seguido. O texto áureo nos mostra Neemias exercitando essa nobre virtude. Sua disposição em trabalhar juntamente na reconstrução do muro serviu como mola propulsora para todo o povo. O resultado foi um trabalho com o povo participando, não por pressão, mas com uma vontade de servir espontaneamente, motivada ainda mais pelo exemplo do servo de Deus que estava exercendo o papel de um verdadeiro lider - servir.

A boa obra tem que avançar!

“Mais de uma boa obra tem sido olhada com desdém por escarnecedores orgulhosos e altaneiros. Pessoas que discrepam entre si quase em tudo, se unem para a perseguição.

Neemias não contestou aos néscios conforme a sua estultícia; antes recorrei a Deus em oração. Freqüentemente o povo de Deus tem sido desprezado, mas Ele ouve todos os dardos que lhe são lançados e é para consolo deles que assim o faça. Neemias tinha razão para pensar que os corações desses pecadores estavam completamente endurecidos, caso contrário não teria orado que seus pecados nunca fossem apagados. A boa obra continua avançando quando a gente se preocupa por ela. As repreensões dos inimigos deveriam alentar-nos em nosso dever, em lugar de afastar-nos dele”[1]

II – Auxílio Devocional

             Para complementar os conhecimentos para a aplicação da aula, reproduzo a seguir parte do excelente subsidio disponível na revista Ensinador Cristão:

As portas começam  a ser reparadas

Uma das atividades mais citadas no capítulo 3 de Neemias é a restauração das portas. Cada porta tinha sua importância. De forma geral, cada uma permitia o acesso e a saída da cidade, por alguma direção. Os muros tinham sua importância na estrutura das cidades antigas, como hoje tem os muros das casas e condomínios. Sua altura e imponência traziam segurança aos moradores, e muito trabalho a grupoo invasores. Entretanto, em que pese os muros terem essa prerrogativa de proteção, essa proteção poderia ser perdida se as portas da cidade fossem destruídas parcial ou completamente. As portas abertas, mal protegidas ou destruídas permitiriam  a entrada de inimigos e a destruição da cidade. Por isso deveriam ser restauradas de mema forma que os muros o foram.

Havia diversas portas na cidade de Jerusalém, e cada uma tinha um nome e uma importância. Independente de aplicação atribuída para cada uma delas, o importante é o seu significado estratégico. Mais que apenas impedir a entrada de pessoas indesejadas, e permitir o acesso daquelas bem-vindas, as portas da cidade tinham uma outra atribuição: a de delimitar onde estariam as autoridades da cidade. Nas portas da cidade é que as autoridades se colocavam, principalmente para exercer a administração e realizar julgamentos. Se um homem ou mulher quebrassem o concerto do Senhor, deveriam ser levados às portas da cidade para serem julgados e condenados (Dt 17.5).

[...] Mais que apenas objetos de madeira ou metal colocados entre os muros da cidade, as portas representavam um retorno da autoridade antes perdida.”

III – Dinâmica (NEEMIAS – Palavras Cruzadas *)

            Caso queira receber o tutorial da dinâmica para aplicá-la em sua sala de aula, envie um e-mail para: FILHOCON@YAHOO.COM.BR

            Uma ótima aula!

Bibliografia:

[1] – HENRY, Matthew - Comentário Bíblico AT-Gênesis a Neemias CPAD, p.316)

LIDERANÇA EM TEMPOS DE CRISE













I   -  Texto Áureo (Ne 2.20)
II  - Auxílio Bibliográfico
III – Dinâmica (NEEMIAS - Palavras Cruzadas)*



I – Texto Áureo

“Então, lhes respondi e disse: O Deus dos céus é o que nos fará prosperar; e nós, seus servos, nos levantaremos e edificaremos; mas vós não tendes parte, nem justiça, nem memória em Jerusalém” (Ne 2.20)

Em todo e qualquer projeto que alguem se propunha a desenvolver sempre haverá oposição. Quando se refere então a obra de Deus a questão é muito mais séria pois as forças opositoras (diabo, mundo e carne) farão de tudo para impedir que os servos de Deus realizem aquilo proposto em seus corações para Deus.

Quando Neemias deu início a reconstrução dos muros de Jerusalém, logo apareceram seus três principais opositores: Sambalate, Tobias e Gésem. Eles não estavam interessados em contribuir, cooperar ou algo semelhante, mas seu alvo era tão somente desestimular a obra da recontrução dos muros que Neemias iniciara.

No entanto, notamos algo inspirador na fala do servo de Deus : “...O Deus dos céus é que nos fará prosperar...”. Louvado seja Deus!. Neemias sabia e tinha convicção que o Deus que o chamara para aquela obra o faria chegar ao final com vitória. O líder que tem convicção de seu chamado não perde tempo discutindo com seus opositores sobre sua vocação, ele mostra fazendo (I Sm 17.41-47).

“ [...]e nós, seus servos, nos levantaremos e edificaremos[...]”

Portanto sigamos o exemplo de Neemias, há muitas coisas carencedo de serem reconstruídas em nossas igrejas “e nós, seus servos, nos levantaremos e edificaremos”.

II – Auxílio Bibliográfico

“O Líder e a Vida de Visão e Planejamento

Uma das maiores preocupações do líder de Deus se diz respeito a visão. Visão é algo que está bem claro na mente do líder, uma imagem nítida, na qual ele quer que os liderados sejam ou façam. Tende esta imagem de maneira nítida em sua mente, o líder planejará o melhor método para se alcançar esta visão, como irá transformar isso em ação.

A concentração de um líder não deve estar no passado nem no presente, mas no futuro. Ele é uma pessoa que sempre está a frente das pessoas, vê mais e vê além que os demais, e também na imensa maioria das vezes ele é alguém que vê antes de todos os outros. Geralmente se diz que líderes com visão, são líderes pioneiros. São o tipo de pessoa que nos conduzem a territórios ainda não explorados por qualquer outro.

‘Todos os homens sonham; mas não igual. Aqueles que sonham à noite nos recessos empoeirados de sua mente acordam para descobrir que foi vaidade; mas os sonhadores do dia são homens perigosos, que podem conduzir seus sonhos com olhos abertos para fazê-lopossível’. (T.E. Lawrence).

O planejamento do futuro deve ser uma grande responsabilidade do líder. Ele deve olhar para o horizonte e verificar as possibilidades e as impossibilidades, e até quem sabe, torná-las possíveis.
Neemias – Um homem de visão

Neemias era um homem de visão. mesmo distante de sua Terra, pois estava em cativeiro, ele recebera a visão de reconstruir as muralhas de Jerusalém. Era um servo, copeiro do rei Artaxerxes, da Pérsia. Então, a missão de Neemias, era transformar sua visão em realidade, seu planejamento em objetivos realizados. O primeiro passo que Neemias dera foi em sentido a oração. Depois, falou com o rei Artaxerxes. Mais tarde, em Jerusalém, com o plano em sua mente, os meios necessários, e o poder de Deus para realizar e derrotar os inimigos e a oposição, transformou a sua visão em ação.

‘O que distingue o verdadeiro líder dos outros; é o fato de ele possuir uma visão. Isso é importante porque constitui a chave mestra para uma liderança vitoriosa.’

É a visão que dá base e sustentação a todo ato de liderança. Sem visão não pode haver uma missão adequada. Sem missão, não há possibilidade de um produtivo programa de metas. Sem o programa de metas não há liderança. Sem liderança, o mundo enfraquece em pecado e tristeza. A liderança começa com uma visão.

O líder deve executar a visão de Deus a partir de sua vida”[1]

III – Dinâmica (NEEMIAS - Palavras Cruzadas*)

            Caso queira receber o tutorial da dinâmica para aplicá-la em sua sala de aula, envie um e-mail para: FILHOCON@YAHOO.COM.BR

            Uma ótima aula!

Bibliografia:

[1] – ABREU FARIAS, Pr. Cleverson de – Princípios para uma boa liderança. ed. Letras Santas, p.21,22